slide

Beijos Roubados

14 fevereiro 2013

Beijos Roubados
Nora Roberts
Harlequin Books
420 págs.

O livro tem duas histórias envolventes, em ambas têm dois personagens que por terem experiências negativas durante a vida não acreditam em casamento e não se veem casadas em hipótese alguma, mas o destino as colocam em check quando encontram pessoas que acreditam no amor, na possibilidade de duas pessoas dividirem o mesmo teto, formar família e terem filhos. A primeira história é Uma promessa quebrada e a segunda é Uma vida em construção.

Uma promessa quebrada (1ª história)

Jacqueline Mac Namara é uma pessoa livre como um passarinho e aos 26 anos não terminou nenhum projeto iniciado, porém as suas experiências em estudar temas variados, ingressar em curso e não concluí-los fez dela uma pessoa globalizada e com múltiplas competências. Ao resolver iniciar o projeto como escritora e chegar até o fim, aluga uma belíssima casa de seu primo, Fred um trapaceiro, que estava cuidando da mesma há seis e precisava desocupa-la para o proprietário solitário, independente e egocêntrico e um adorável conservador Nathan Powell.

Ao se deparar com Nathan Powell Jack encontra nele o Jacke o herói do romance que está escrevendo. Acabam entrando em atrito, pois Nathan quer ficar sozinho e Jack quer ficar na casa que alugara por três meses e pagara US$ 3.500. Depois de algum tempo Jack propõe um acordo, como cozinha muito bem e Nathan não cozinha nada, ela sugere dividir a casa com ele em troca ela cozinha para ambos. Mesmo a contra gosto Nathan resolve ceder a este acordo por um período definido por ela.

Eles travam algumas batalhadas e em meio a elas acabam se desejando muito. “a mão dele se fechou ao redor do pulso dela antes que Jackie conseguisse se afastar. Ele pergunta: Alguém já quebrou seu nariz? Ela responde que nunca chegaram a tanto e acrescenta: Você quer brigar? Nathan diz: Vamos tentar isso primeiro e a puxa em direção a ele, ela se desequilibra e para não cair no chão se apoiou no ombro dele, antes que pudesse contra-atacar ele capturou a boca dela na sua em um beijo abrasador”. Nathan acreditou que como não era adepto de bater em mulher o beijo era como se fosse uma surra, mas ele foi afetado de outra forma.

Uma vida em construção (2ª história)

Arquitetos e Engenheiros sempre duelam por seus espaços, apesar de muito próximo e estarem muitas vezes no mesmo ambiente ele brigam, pois na visam do engenheiro o arquiteto pensa na estética, na beleza e não em questões praticas de segurança e reanjos em projetos visando qualidade e economia, já o arquiteto acha que o engenheiro pensa demais em como fazer e não consegue projetar sonhos. Um faz o projeto (arquiteto) e acompanha a execução, pois quem realiza/constrói o projeto é o engenheiro que calcula, prevê e tem uma ideia de como exeutar.

Assim, temos de um lado Cody o arquiteto que projetou um mega resort no deserto do Arizona e Abra a engenharia responsável pela execução do mega projeto. Ela tem muitas críticas em relação ao projeto em relação a ideia megalomaníaca do arquiteto que ainda não conhece, deseja mudar algumas partes, mas Cody será ferrenhamente contra qualquer mudança.

Abra após uma decepção amorosa, está decidida a investir somente na vida profissional, ela tem mãe despojada que já passou por vários casamentos e Abra tem reticências em relação a forma como a mãe conduz a própria vida, mas no geral elas se dão bem. Abra é ética tanto na vida pessoal quanto na profissional, é comprometida, reconhece o valor dos operários, se preocupa e investe no bem estar deles, inclusive arrisca o emprego para defendê-los.

Cody é batalhador, otimista com pé na realidade, crescera lutando contra a pobreza, e talvez por isso agora como era um dos donos da empresa de arquitetura, aprendera a apreciar as coisas boas da vida, talvez muito mais do que as pessoas que nasceram em berço de outro e não tiveram que trabalhar para conquistarem o que tinham. O lema de Cody é “trabalho, talento e ambição eram a chave para o sucesso, com um pouco de sorte para ajudar. Mas ele sabia que a sorte podia mudar, por isso nunca dispensava trabalho”. Durante os anos da faculdade trabalhou como operário e agora podia sonhar, imaginar e criar, desde que não esquecesse de que transformar sonhos em realidade significava trabalho duro.

Quando Abra Wilson competente e exigente que prefere a franqueza à sutileza conhece Cody Jonhson, arquiteto detalhista, debochado e divertido, ela o confunde com um dos empregados da obra que está em seu trailer bebendo uma cerveja na hora do trabalho, ela o manda voltar ao trabalho e diz que não permitido beber durante o expediente, quando não é obedecida e ainda verificar um sorriso no rosto de Cody, Abra pega a cerveja da mão dele e joga em sua cabeça, só depois de muitos minutos ela fica sabendo que Cody é o arquiteto e não sabe o que fazer, mas aí já começa a brigar com ele.

Assim Abra e Cody acabam se desafiando. Sorrindo de forma um tanto quanto debochada ele pergunta: “é porque sou um homem, um arquiteto ou uma nativo da Costa Leste que você quer furar meus olhos?”. Ela fica enfurecida com o sorriso nos lábios dele e não com a pergunta. Responde “Não dou a mínima para o seu sexo”. Ao que Cody retruca: “Você gosta de cutucar a onça com vara curta, Wilson? Abra responde que sim e sorriu de forma desafiadora e conclui a sua resposta: “arquitetos costumam ser artistas pomposos e temperamentais, que colocam seu ego no papel e esperam que engenheiros e operários os preservem para posteridade”. Mas como Cody está interessado nela não segue com a provocação. “Ela era maravilhosa. Capaz de enfurecê-lo, mas maravilhosa”.
Mas como onde há fumaça há fogo, as discussões e o projeto os aproximarão e eles se descobrirão quando começam a acontecer acidentes, ambos sendo chamados no escritório central em diversas ocasiões para não presenciarem a mudança de material de péssima qualidade que comprometerá todo o projeto, isto em decorrência de Tim Thornway assumir a empresa após a morte do pai, com o qual Abra começou a trabalhar como estagiária. Tim, diferente do pai, é inescrupuloso e fará de tudo para se beneficiar financeiramente colocando em risco o projeto e a vida das pessoas.

A atração entre Abra e Cody fica cada vez mais irresistível, acabam se aproximando mais, entretanto Abra coloca uma regra: deverão ser apenas amigos. Cody era paciente sabia quando e como ser paciente, mas em se tratando de Abra nada do que praticara até conhece-la funcionava com ela. “pela primeira vez na vida, ele quis arrebata-la no colo e lava-la com ele, como um cavaleiro de romances, montado em cavalo branco. E quis, com a mesma intensidade, arrastá-la pra o chão de possuí-la como um guerreiro primitivo saqueando após a vitória. E quis ainda, como um poeta, acender velas e colocar música suave para tocar. Mas mais do que tudo isso Cody queria Abra”.

Assim, em meio a tantas emoções eles terão que aprender a lidar com imprevistos, com possibilidade de morte e perda, com reformulação de rotas e com o desejo ardente e crescente entre ambos, com a necessidade de cuidado mútuo sem compromisso que poderá se transformar em algo que poderá uni-los ou separá-los definitivamente.

10 comentários:

  1. Oi, Tania!
    Pode ficar surpresa, mas até hoje não consegui ler nenhum livro da Nora Roberts. E juro que não é falta de vontade! haha Apesar de todos os elogios à autora e eu adorar um romance com um pouco de mistério, não tive a oportunidade de comprar nada dela. Mas tenho alguns na minha lista, e quem sabe em breve, rs.

    Beijos, Gabi Prates
    Palácio de Livros

    ResponderExcluir
  2. Oie sua linda. :)
    Bem a Roberts é minha Diva, apesar de sentir que essas histórias não sejas uma das melhores que ela escreva - aliás tenho séria impressão que seja escrito pela secretária e assinado por ela -#MáhEu contudo Roberts é Roberts! *.*
    Leio sempre!
    Beliscões da Máh♥
    Cantinho da Máh

    ResponderExcluir
  3. Tania o livro da Nora Roberts é como se fosses aqueles vira vira?
    Eu ador a Nora, com seus mocinhos valentes mas apaixonante que tentam mostra que e mandão mas se derretem pela mocinha.
    Não conhecia nenhuma dessa historia, mas despertou minha curiosidades saber como no final eles se entenderam.

    Louca Escrivaninha

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tania!

    Não fico muito á vontade de ler Nora Roberts, porque muitos dizem que ela só escreve por dinheiro. Mas já está na hora de quebrar um pouco este preconceito literário e ler pelo menos um livro dela, para ver como é a escrita e narrativa da autora, se eu gostar leio mais.

    As histórias parecem interessantes, duas mulheres que não acreditam em casamento e não se veem casadas em hipótese alguma, e conhecem pessoas que mudaram este pensamento. Uii! Gostei mesmo da sinopse do livro e da sua resenha também, muito bem explicada e desenvolvida. Abraços!

    http://momentoliterario1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Tania!

    Que legal a forma que você montou a resenha me duas partes, sem deixar de abordar as duas histórias! Vc já deve saber que ainda não conheço a escrita da Nora! Ainda vou ler ela!
    Adorei as premissas das histórias e achei o Quotes de tirar o fôlego!
    Parabéns!

    Me deixou com muita vontade de ler!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olha, eu gosto muito dos livros que li da Nora. Mas acho que não estou muito no clima no momento... rs... Não achei as histórias atraentes o suficiente para me animar a ler, mas gostei um pouquinho mais da segunda, acho que por eu ter uma irmã arquiteta e uma melhor amiga engenheira, gosto da relação entre as duas profissões.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  7. Oieee, eu já ouvi falar muito bem desta autora, um dia resolvi ler um livro de banca dela, mas não gostei, o livro não era ruim, porem não era como eu esperava haha, gostei da capa, mas acho que não leria!!!

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Meu você é muito boa em escrever resenhas... Já aprendi que quando venho aqui, tenho que ler a suas sem pressa e apreciar... Porque você descreve o livro sem spoiler de uma maneira que prende a gente e já é o segundo livro que vejo a resenha aqui e que marco como desejado... Esse são duas histórias em um só e pelo que vi são romances maravilhosos... Gostei muito da premissa. Xero!!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Achei bacana a opção em ter colocado separadamente as duas histórias e respectivamente as duas resenhas. Eu teria realizando dois posts diferentes, pois sei que me perderia entre uma e outra.
    Infelizmente romances não são o meu forte, então deixo para uma próxima.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tania,
    tudo bem?
    Ah!!!!!! estou derretendo por aqui, tentando decidir de quem gosto mais:Cody ou Nathan??? acho que é tarde demais, me apaixonei pelos dois!!!!!!!!! Confesso que não gosto quando um livro traz mais de uma história, mas esse conseguiu me prender.
    Acho que vou virar fã da Nora depois das suas resenhas.
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir