slide

A LINGUAGEM DAS FLORES

03 abril 2014

A linguagem das flores
Vanessa Diffenbaugh
294 páginas

Sinopse: Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda. Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. 

Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas. Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até por tudo a perder. Agora aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular.

Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram.

Estou emocionada com a Linguagem das Flores, um romance lindo que através das flores e seus significados fazem um relacionamento nascer e de mansinho, de pouquinho em pouquinho fazer brotar o amor no coração e na vida de uma pessoa que não se sentia capaz de amar.

Aqui temos uma história que mistura passado e presente de Victoria Jones, uma pessoa abandonada quando bebê e que sempre viveu em orfanatos e lares adotivos, mas como ela sempre foi muito arredia sempre acabava aprontando alguma, pois em tais famílias era negligenciada de uma forma ou de outra e retornava ao orfanato, dando muita dor de cabeça para a incansável assistente social Meredith Combs que apesar de ser muito dura sempre acreditou que Victoria conseguiria uma família. 

...aquele podia ou não ser o dia do meu aniversário. O primeiro dossiê registrava minha idade como aproximadamente três semanas. A data e o local de meu nascimento eram desconhecidos, assim como meus pais biológicos. P.13 

Mas, aos 10 anos conheceu Elisabeth, uma fazendeira solteira que desejava ter uma família e adotou Victoria que, desconfiada testava a paciência e o interesse de Elisabeth por ela. Elisabeth é daquelas mulheres que não dá mole e como ela, eu penso que amor não significa se deixar manipular, amar é acreditar no outro e na sua potencialidade e foi isto que ela fez com Victoria, deu amor junto com limite. Entendeu as necessidades da menina, tanto que quando ela foi suspensa da escola, Elisabeth decidiu que a educaria em casa com receitas de bolos para estudar matemática, com leitura do manual que continha os significados das flores, visitas constantes aos vinhedos e redações.

Assim, em um ano Victoria se afeiçoou à Elisabeth que foi a única pessoa que considerou como mãe e apesar de, a princípio, negar, amou-a ainda que de uma forma agressiva inicialmente, até por que esta agressividade era a forma de defesa da menina. Entretanto, aprontou mais uma por desejar o amor e a atenção de Elisabeth somente para si, havia planejado algo leve que saiu errado e isto mudou sua vida para sempre, será???

Como em todos os orfanatos o interno completa 18 anos é desligado e jogado a própria sorte, conheço bem esta situação por já ter trabalho com crianças e adolescentes abandonados ou vítimas de violência doméstica, então vocês, queridos leitores, imaginem que fiz um “revive”. Mas, continuemos, durante o período de três que tem o aluguel pago, Victoria só consegue cultivar plantas em seu quarto, se alimenta pouco ou nada por não ter dinheiro, sem conseguir emprego é posta na rua e começa a morar em uma praça pública, um local escondido por arbustos e onde ela começa a construir um jardim particular pegando mudas de flores às escondidas na vizinhança.

Agora, adulta, minhas esperanças para o futuro eram simples: querida ficar sozinha, cercada de flores. Parecia que, enfim, iria conseguir exatamente o que desejava. p.23

...de repente, eu soube que queria ser florista. Queria passar minha vida escolhendo flores para desconhecidos... p.55 

Assim, entre suas andanças Victória conhece Renata, dona de uma floricultura que trabalha sozinha, pede trabalho e quando indagada sobre sua experiência diz não ter, mas é lindo o que ela faz para conseguir o emprego e me fez refletir sobre o que realmente significa ter experiência, descubram lendo esta magnífica história.

Com o trabalho na floricultura Victoria e as idas ao mercado central para comprar flores com Renata conhece o vendedor/florista Grant que entrega-lhe uma flor, ela rejeita o significado da flor e entrega-lhe outra dando-lhe uma mensagem negativa. Este fato, alerta Grant que, como Victoria conhece muito bem todos os significados das flores. Como ela sabe tudo aquilo? Quem será aquela garota que usa a linguagem das flores para se comunicar, para falar de seus sentimentos?

Grant descobrirá quem é Victoria Jones, ele é o tipo de pessoa que sabe dar tempo ao tempo e fará toda diferença na vida de Victoria, mas não posso contar como. Muitas coisas acontecem, muitas pessoas acontecem e um fato em particular marcará para sempre a vida de Victoria.

É interessante como a autora, em seu primeiro livro, construiu uma rede de personagens secundários tão bem e tão importantes para a trama. Sabe aquele livro que você consegue gostar de praticamente todas as personagens? Este foi o meu caso com este livro lindo. Ela apresenta um tema pesado como abandono-rejeição-adoção-abandono e seus efeitos na vida de uma criança e na sua vida adulta de uma forma leve que mobiliza muitos sentimentos no leitor, retendo sua atenção, além de perfumar a estória com as flores, suas cores e seus significados. Tanto que, como gosto de flores e gosto de presentear elas, considerarei seus significados quando montar um arranjo para alguém. Foi uma verdadeira aula, principalmente com a contribuição da releitura e reescrita dos significados por alguns personagens, você descobrirá.

A narração em primeira pessoa na voz, visão, sensação e percepção de nossa da protagonista, transmite objetividade e dinamismo. Trata-se de um romance sem nenhuma melação, com personagens incríveis cada um com seus dilemas, traumas, dramas e dores; mas com uma grande carga de afeto, descobertas de que é possível amar e ser amado, de que o destino existe, mas que depende de nós manusearmos os instrumentos necessários para a felicidade ou a infelicidade, a crença de que é possível mudar de rota e se entregar mesmo que para isso seja preciso ir aos poucos tateando sentimentos desconhecidos.

Desejo verdadeiramente que você se interesse e leia este romance, pois não tem enrolação, é direto, cheio de lições fantásticas. Ao ler este livro você conhecerá um pouco de Vanessa Diffenbaugh, escritora comprometida e envolvida com questões tão delicadas na sociedade, tanto que criou a “Camellia Network uma organização com o objetivo de criar um movimento nacional de apoio a jovens que estão deixando os abrigos e se emancipando” – www.camellianetwork.or. Na linguagem das flores camélia significa meu destino em suas mãos.

Hoje de presente eu montei um buquê de flores e folhas para vocês cheios de significados e para decifrá-los você deverá consultar o dicionário de flores de Victoria que está no final do livro.



Beijos significativamente floridos em vocês!
Tânia Bueno

16 comentários:

  1. Oie! Parece ser um livro bom, espero ter a oportunidade de le-lo algum dia!
    Me segue? eu sigo de volta e comenta por favor nesse post ajudaria muito!
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2014/04/lancamentos-e-novidades-editora-v-e.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Naylane, eu gostei muito mesmo desse livro, é daqueles que daqui há algum tempo lerei novamente. bjs

      Excluir
  2. A princípio este livro não havia chamado minha atenção, acho que pela capa não ter me agradado tanto acabei achando que ele seria meio sem graça.
    Obrigada por me fazer mudar de ideia :D

    bjs
    http://www.confraria-cultural.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana que você mudou de ideia, Alessandra! Realmente é um livro que vale a pena ler. bjs

      Excluir
  3. Me interesso muiiito por esse livro, já ouvi falar coisas muito boas sobre ele, principalmente em relação à bela escrita da autora. Acho que a capa deixa um pouco a desejar, poderia ser mais bonita e bem trabalhada mantendo a simplicidade, mas é apenas um detalhe. É um dos livros que pretendo ler em breve : )
    Beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran, este livro realmente marca pela escrita, pelo enredo, pelas lições. Realmente vale a pena lê-lo. bjs

      Excluir
  4. Olá!
    Eu não conhecia este livro. Gostei muito da sua resenha. Deu vontade de ler, rsrs! A autora foi super criativa né? tenho que adicionar a minha lista de desejos urgente...
    Abraço, http://likelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eick, este livro é daqueles que se lê rapidamente e deixa saudades. Boa leitura e bjs.

      Excluir
  5. Fiquei sem palavras quando você me indicou esse livro. Já comprei, e vou ler sim, só não consegui encaixar na fila ainda... Mas depois de ler sua resenha acredito mais ainda que é um livro essencial na minha vida, estou mesmo precisando das lições que ele oferece.

    Adorei isso das personagens secundárias serem importantes para a trama também, e de se tornarem, em sua maioria, queridas para o leitor. Para que eu goste de um livro normalmente preciso gostar das personagens e me identificar pelo menos com uma delas. Não tenho dúvidas de que me identificarei nesse caso.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Olá tudo bem??
    Adorei a sua resenha e vi o quanto gostou da história... Adorei saber desse livro ser um romance e que envolve o significado das flores... Gosto muito de saber disso. Quero aprender muito mais. Li um livro também que fala de uma mulher que tem sensibilidade com as flores e seus significados aprendi muito com o livro e espero um dia poder ler esse também. Xero!!!

    ResponderExcluir
  7. Já tinha ouvido falar do livro, mas nunca tive muito interesse nele.
    A capa é linda e a história parece ser bacana, mas faltou algo para me fazer ter vontade de ler a história. Quem sabe minha opinião não mude?!

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Tania!

    Confesso que só olhando para a capa não iria ler! Mas VC me convenceu amada!

    ''É interessante como a autora, em seu primeiro livro, construiu uma rede de personagens secundários tão bem e tão importantes para a trama. Sabe aquele livro que você consegue gostar de praticamente todas as personagens? Este foi o meu caso com este livro lindo.''

    EU AMO isso! Acho que quando os personagens são fortes e bem construidos principais e secundários são meio caminho andado para mim gostar da o obra!
    Linda resenha!
    ANOTEI ele aqui!

    Beijos s2

    ResponderExcluir
  9. Oi Tania,
    tudo bem?
    Sua resenha está maravilhosa!!!!!! Que história mais linda, mais sensível, mais humana. Você sabia, que eu comprei esse livro em uma promoção, sem conhecer nada da história, e não dava nada por ele, tanto é, que nunca li.
    Você abriu meus olhos e adorei a escolha das flores que você me deu.
    Então, fiz um buquê para você também:

    Álamo -negro + buquê- de -noiva + Cacto - de - amor + Gerânio Cheiroso + Sálvia.

    beijinhos emocionados.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. a capa nao me agradou muito... não compraria pela capa risos... mas após ler a resenha me deu interesse... vai para a lista!

    ResponderExcluir
  11. Olá Tania, tudo bem?
    Pelo que percebi, existe muita simbologia por trás das flores que aparecem no livro. Foi bacana terem colocado um pequeno dicionário no final, já que esses símbolos não são desvendados durante a leitura.

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá querida!
    Acho que é a primeira vez que leio uma resenha desse livro e simplesmente estou sem palavras, o livro parece ser lindo, com uma carga emocional bem forte. Vou ter que comprar e ler com urgência essa bela história.
    Beijos

    ResponderExcluir