slide

O Inverno das fadas

28 maio 2014

O Inverno das Fadas
Carolina Munhóz
304 páginas

Sinopse: Existem pessoas normais em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalhos maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais.

Existe uma explicação para isso... Sophia é uma Leanan Sídhe, uma fada-amante, considerada musa para humanos talentosos. Ela é capaz de seduzir  e inspirar um homem a escrever um best-seller ou criar uma canção para se tornar um hit mundial. A fada dá o poder para que a pessoa possa se tornar uma estrela, um verdadeiro ícone, ao mesmo tempo em que se aproveita da energia do escolhido para alimentar-se. Causando loucura e MORTE.
Sophia Coldheart é uma fada espetacular, de beleza não vista no mundo dos humanos, para sobreviver ela precisa se relacionar com homens ou mulheres especialmente talentosas que apesar de já terem dons fantásticos no mundo das artes, quando escolhido por Sophia e ao se relacionarem com ela a inspiração aumenta como num passe de mágica e criam obras fantásticas sem saberem que ao criar uma obra que o lançara no mundo das estrelas mais brilhantes no mundo dos famosos, não necessariamente usufruirá da fama, mas será por que isto acontece?

Sophia faz parte de um tipo raro de fada, Leanan Sídhe “eram personificações da inteligência, criatividade, arte e magia. Elas não escondiam seu poder, beleza e mistério. Sua finalidade era revelada através das obras criativas que elas inspiravam nos poetas, pintores e músicos. Sua beleza instigava tantas emoções que seus amantes sentiam amor e paixão, desejo e tesão, saudade e desespero” p.155

Assim as encantadoras Leanan Sídhe observam os humanos durante algum tempo e os escolhem, elas passam a ser a musa cheia de magia e de uma energia sexual sem igual, aliás, o prazer que elas proporcionam é simplesmente indescritível e viciante.

Sophia em especial fascina, entusiasma no começo em sonhos, pois esta é a primeira forma de contato com os seus escolhidos que tanto sonham que acham que estão enlouquecendo e não podem contar a ninguém, pois com certeza seriam considerados insanos. E se em sonhos Sophia faz tudo isto imagine quando ela surge fisicamente, face-a-face e a coisa triplica um milhão de vezes. Pessoas que dariam tudo pela glória de se tornarem mitos, que acreditam que a fama os tornam semideuses e dariam a própria vida para realizarem este desejo, estas pessoas são os principais escolhidos.

Você poderá pensar que Sophia é mais um demônio que uma fada, mas você está enganado(a) se pensar assim, pois na realidade ela dá o que eles tanto anseiam, mas como tudo na vida tem um preço e ela precisa da energia criativa, dá a eles o que querem e em troca eles dão que ela precisa para se manter viva, mas seus escolhidos não sabem disso.

Uma Leanan Sídhe como Sophia sabe que se apaixonar e amar verdadeiramente alguém, seja humano, elfo ou qualquer pessoa significa morte para ela, razão pela qual as fadas Leanan Sídhe são eternamente solitárias e Sophia não deseja o destino que tiveram sua mãe, uma Leanan Sídhe e seu pai um Elfo que conseguiram sobreviver até o nascimento dela que herdou da mãe a beleza e o poder de sedução e do pai o poder mágico.

Tudo vai bem com a nossa encantadora fada até que se envolve com William Bass que claro está completamente apaixonado por ela e ela começa a se dar conta de que ele é diferente dos outros ídolos com os quais se envolveu. William tem opinião própria, tem o dom de escrever e de certa forma domina Sophia o que a deixa intrigada, ele não almeja glória alguma, apenas gosta dos livros e de escrever. “... o sucesso não é algo que me seduz pela fama e sim pelo reconhecimento cultural e social. Imagina quantas pessoas poderiam ler minhas obras e se identificar com elas. Quantas pessoas eu poderia tocar com minhas palavras.”

Temos outras personagens importantes como o avô de Sophia o Governador Arawn Coldheart que a ama acima de tudo, fará de tudo para impedi-la de viver um grande amor porque a paixão e o amor representa morte para ela. Temos o padre que vê Sophia ainda que ela esteja na forma que somente William vê. O padre Anthony quer proteger o rapaz por conhecer a estória das Leanan Sídhe, mas de onde vem o conhecimento do padre sobre este outro mundo? Temos o pai e a mãe de William que dariam a vida por ele e escondem uma estória de feitiçaria/magia que envolve a avó materna de William. Temos a prima de Sophia, a fada negra Banshee que arrebata as almas do que se suicidaram por amor a Leanan.

É interessante como um amor verdadeiro pode mudar o rumo de vidas, pessoas que nunca amaram e que dariam a própria vida para proteger e preservar a pessoa amada.

Gostei muito da narrativa adotada por Carolina Munhóz que é envolvente e até viciante, é interessante como fiquei o tempo todo tentando descobrir quem eram as celebridades que se envolveram com a Leanan e que partiram cedo vitimas de seus desejos e talentos, creio que foi uma forma de Carolina, além de homenagear ícones como cantores, atores e escritores, mostrar quão frágeis foram em relação à fama, ao “pseudo” poder que esta gera, fazendo-os acreditar que têm controle total sobre suas vidas e que nada de ruim lhes acontecem. Consegui identificar algumas personagens de nosso mundo real ainda que escondidas atrás de outros nomes.

Enfim, adorei o livro amei a Sophia, mesmo quando deveria odiá-la por ser tão egoísta em alguns momentos, mas entendi que era da sua natureza preservar a própria vida. Fiquei comovida, pois ela em alguns momentos se sente culpada e William é responsável por resgatar este lado mais “humano” da fada que em determinado momento tem sua energia totalmente gasta tentando devolver a energia vital a ele.

Será possível um humano como William se relacionar para sempre com um ser encantado? Que magia este humano traz? Poderá o amor vencer e fazer do impossível possível? À vezes não nos apropriamos no poder que temos e nos deixamos manipular por forças ocultas. Como William reagirá à luta entre o bem e o mal preservando a beleza da sua alma e salvar almas perdidas que estão sob o domínio da Fada Negra?

Então, meu povo, os convido a ingressar no mundo mágico criado por Carolina Munhóz, visitem a montanha de Bassenthwiate, onde habitam os Sídhes, as Fadas, os Elfos e todos os seres encantados, tem um dia que é possível este contato, descubram quando com a leitura de “O Inverno das Fadas”.

Que pena que acabou, é com certeza uma obra que lerei novamente, aliás, Carolina Munhóz arrasou.

Bom, vou fechar com um trecho que gostei muito pelo conteúdo e pelo ensinamento, tem vários outros trechos que amei e estão marcados no meu livro, mas não os coloquei aqui para não entregar muito ou nada risos. O trecho a seguir é fruto de uma reflexão e crença.

“... a história sempre possuiu grande importância na compreensão da humanidade, pois ela era o estudo do passado, das sociedades das relações individuais e coletivas. A cultura de uma sociedade era algo único e necessário. Era ela que possuía respostas e interpretações a vários questionamentos humanos. A história também é responsável por justificar os vínculos que mantêm os indivíduos unidos, fazendo-os compreender seu significado perante a sociedade, seus direitos, deveres e responsabilidades. Acreditava na importância do desenvolvimento do conhecimento para a compreensão das sociedades, do homem e sua doação ao universo, e do estudo como um importante exercício de autoconhecimento, investigação e preservação de legado cultural.” p-248/249. 

Beijos magicamente encantados em vocês!
Tânia Bueno



19 comentários:

  1. Que livro legal :)
    Gosto de fadas e amo inverno, hehe! A sua resenha está ótima, me deu até vontade de ler o livro, pena que tem outros na frente :\
    Abraço, www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Érick, que bom que gostou da resenha, também amo fadas, inverno nem tanto. Quando puder leia este livro e depois me conte. bj

      Excluir
  2. Oláaa!
    Se não fosse o detalhe de "loucura e morte" e ia começar a desejar uma fada dessas, viu?! haha
    Sempre gostei bastante da capa desse livro e do fato de ser nacional, mas não me lembro de ter lido alguma resenha dele antes. A premissa é bem interessante.
    Um livro que, de certa forma, fala de coisas que gostamos: livros, escritores, etc. Adoraria conferir como essa fada vai lidar com William (e vice-versa).

    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Tentei ler A Fada, mas não consegui evoluir na leitura, acabei desistindo, então não rola ler Munhóz por enquanto. Qualquer dia eu tento de novo.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  4. Que bom que no fim você conseguiu entender a Sophia e curtir a personagem. Tenho muita curiosidade de conhecer a escrita da Carolina, e há alguns dias solicitei esse livro no skoob. Espero conseguir lê-lo logo e gostar tanto quanto você!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Oieeee, sempre tive vontade de ler este livro <3 <3 Essa CAPA <3 <3 <3 <3 Ainda vou conseguir este livro kkk, ele está na minha lista de desejados a muito tempo e tenho muita vontade de ler, Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tânia.
    Sabe, assim como muitos não gostam de vampiros, eu não gosto das fadas rsrsrs, acho que nunca li nada com elas, mas não gosto.
    Até li alguns capítulos desse livro, mas não consegui me envolver com a história.
    Que bom que pra você a narrativa funcionou e você fez uma boa leitura.
    Livro é assim mesmo, agradam uns, outros nem tanto.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  7. Esse livro parece ser muito bom!
    Mas ainda não tive oportunidade para ler.
    Gostei da resenha!
    Beijos
    Misael
    http://devoradoresde-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie Tania
    Minha colunista leu esse livro é me recomendou muito, então já está na minha lista de desejados. Que bom que você gostou e espero que quando eu tiver oportunidade também goste do livro.

    Beijos,
    Jéssica
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  9. Olá

    Conheço essa autora por conta de seu marido sensacional, mas não fiquei muito interessado em suas obras, apesar de achar a premissa até chamativa. Sua resenha me fez ter um pouco de vontade de conhecer o livro, uma vontade inexistente, mas ultimamente tenho tantos livros aqui pra ler que conhecer novos fica muito no segundo plano. Quem sabe um dia, né? haha

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, você conhece a Carolina Munhóz!!!! Dê uma oportunidade ao Inverno das Fadas, vai! bjs

      Excluir
  10. Ainda não li nenhum livro da autora, já vi muitas resenhas positivas e muitas negativas também. Realmente não sei bem o que esperar da autora. Por enquanto, não está na minha lista de leitura, mas quem sabe um dia.

    Beijos,
    Bell

    http://contosdoguerreiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi,
    Eu já li algumas resenhas desse livro, sempre fico curiosa pra conhecer a escrita dessa autora nacional que ouço só elogios.
    Como gosto de fadas, series fantástico, acredito que será uma leitura agradável, gosto quando o autor faz essa pegadinha de nos passar uma falsa impressão do personagem como aqui que você mencionou que, os leitores poderão pensar que Sophia é um demônio.
    Outro ponto que gosto, essa suspense que ficamos tão curiosos para desvendar que devoramos o livro hehe.
    Adorei sua resenha, um encanto com a obra que deixa os leitores curiosos pela leitura.
    Beijos Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  12. Oi Tania, tudo bem?
    Eu gosto muito de livros de fantasia. E sabe, na maioria das vezes, são nesses livros que encontramos as melhores lições. Porque é tão importante obter reconhecimento? Porque no meio do caminho, a fama se torna maior do que o próprio talento? Cada um nasceu com algo para contribui ao mundo, por menor que seja. E o maior reconhecimento que alguém pode ter, é ver a vida de alguém ser transformada de forma positiva com a sua contribuição.
    Acho que vou adorar esse livro.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Tania!
    Da Carolina li Feerica, é de fadas também, a autora gosta muito destes seres e os utiliza sempre em suas obras. Minha primeira experiência foi positiva, sua fadinha sabe divertir e encantar, fico feliz em saber que neste outro livro a história também é boa.Valeu pela dica.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oi Tania!
    Eu tenho Fada dessa autora aqui em casa e ainda não tive tempo para parar para ler! Acredita?! Eu amei sua resenha, super me empolgou a conhecer esse mundo criado pela autora e sua escrita! Também adorei o quote final! Beijos

    ResponderExcluir
  15. Já li uma short story da Carolina e adorei, foi muito boa, a escrita dela me conquistou nas primeiraspáginas. O modo como ela expôs os sentimentos da personagem foi incrível, op que me fez querer ler mais livros dela.

    ResponderExcluir
  16. Olá Tania, tudo bem?
    Já tive a oportunidade de ler Feérica e realmente a autora é uma decepção pra mim. Ainda acho que tem dedo do Draccon em tudo hahahaha.

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Olá Tânia, tudo bem?
    Eu já li Feérica, mas não consegui engolir a pseudo-escrita da autora. Vou deixar passar.

    Beijo

    ResponderExcluir