slide

Belleville

30 março 2016

Resenha por: Tânia Bueno
Título: Belleville
Autor(a): Felipe Colbert
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance
Páginas: 304
Compre e Compre: Submarino
Adicione: Skoob
Nota:


Sinopse: Se pudesse, Lucius aterrissaria em 1964 para ajudar Anabelle a realizar o grande sonho do seu falecido pai! De quebra, ajudaria a moça a enfrentar alguns problemas muito difíceis, entre eles resistir à violência do seu tio Lino. Claro que conhecer de perto os lindos olhos verdes que ele viu no retrato não seria nenhum sacrifício...
Sem conseguir explicar o que está acontecendo, Lucius inicia uma intensa troca de correspondência com a antiga moradora da casa para onde se mudou. Uma relação que começa com desconfiança, passa pelo carinho e evolui para uma irresistível paixão – e para um pedido de socorro...

Felipe Colbert nos presenteia com uma trama dinâmica, cheia de vida e de possibilidades transcendentais e você pode indagar-me: Transcender é para outra dimensão? E respondo: Sim, isso mesmo. O que você faria se descobrisse que se apaixonou por alguém de uma época muita distante, tipo você que vive em 2014 e alguém que vive em 1964? Se entregaria a uma depressão profunda? Acreditaria nessa “loucura”? Tentaria modificar a realidade de alguma forma para evitar o sofrimento de alguém que se comunica com você mesmo estando em época tão distinta? Isso seria possível?

Pois bem, Lucius nosso protagonista tem 20 anos, é um jovem tranquilo que vive em 2014, estudante e mudou-se para Campos do Jordão para cursar a faculdade de matemática. Ele é filho único de um florista, estudioso e produtor de orquídeas. O pai de Lucius não aparece quase nada no livro, mas o leitor tem certeza de que ele é uma pessoa super importante na vida do filho, eles têm muita sintonia e uma relação muito bonita. A mãe de Lucius faleceu quando ele ainda era criança e o pai permaneceu viúvo cuidando e se dedicando ao filho, juntos economizaram dinheiro destinado à faculdade de Lucius e até chegar em Campos do Jordão ele estava totalmente focado.

Mas, o que parecia totalmente planejado começa a ganhar novos rumos quando Lucius chega à sua nova moradia, uma casa muito, muito antiga e que precisa de muitos reparos e provavelmente ele fará alguma coisa já que residirá ali durante toda a faculdade e como alugaram a casa sem ver e à distância não tinham ideia de como estava. Mas, além de não contar ao pai sobre o estado da casa para não preocupa-lo, Lucius assumirá algumas responsabilidade que afetará toda sua vida.

Anabelle, uma pessoa encantadora de 18 anos que vive em 1964 sozinha, pois perdeu a mãe e o pai mais tarde em decorrência de tuberculose, portanto a situação dela é bem complicada, sem dinheiro e um pouco depressiva ela decide que viver é o mais importante, mas para isso precisa de alimento e não tem. Tenta arrumar trabalho e não consegue, conta apenas com a companhia do fiel Tião um gato preto super fofo e é com ele que ela conversa. Anabelle nutre o desejo de concluir um grande projeto que era o sonho do seu pai, construir uma monta-russa, como sabe que não tem condições para realizar o projeto decide que um dia alguém poderá realizar esta tarefa. Assim, escreve uma carta e a coloca dentro de uma caixa, e a enterra no ponto em que a construção começou. E quem encontra a caixa Lucius que a lê e fica confuso, decide que também não poderá realizar o desejo que consta na carta, escreve uma outra carta para o próximo morador e é uma carta muito interessante e até bem humorada. Enterra a caixa no mesmo lugar. Daí pra frente acontece uma sucessão de trocas de cartas e um pensa que o outro está pregando uma peça. Bom, vou parar por aqui senão conto a história toda e não posso – não devo.

Preparem-se para conhecer um romance com uma dose de drama, com personagens interessantes, prepare-se para conhecer o tio de Anabelle que invade sua vida e a obriga a aceita-lo em sua casa visto que ela tem 18 anos e pela lei da época até os 21 anos uma moça não deve se responsabilizar por uma propriedade. Este cara é o homem muito asqueroso, odioso, violento e que já tive o desprazer de conhecer em uma obra literária, passei muita raiva com ele. Em contrapartida em 2014 Lucius está passando por alguns problemas com alguns alunos da faculdade. Mas, temos uma professor de física simplesmente demais que a princípio não dá crédito às “maluquice” que Lucius lhe conta. Mas, como tudo pode mudar e não somos 100% donos do que nos acontece, prepare-se para algumas boas aventuras, descobertas, lição de solidariedade, de carinho e porque não afirmar de amor fraterno. De repente um sonho que se sonha junto e pode ter a possibilidade de se realizar e de transformar vidas e isso independente do tempo. Será? E a lógica como fica? Bom, minha gente, só lendo para saber.

Com um final surpreendente Belleville tornou-se um dos meus livros favoritos, pois Felipe Colbert tem uma escrita apaixonante, eu fiquei extasiada com a qualidade da narrativa desse romance nada clichê que me trouxe algumas importantes lições de vida. 

Leia esta maravilhosa obra e visite Campos do Jordão de  hoje pelos olhos de Lucius e de ontem pelos olhos de Anabelle, mas também pelas mãos do Felipe Cobert que descreveu todas as cenas e cenários de uma forma muito rica, tanto que consegui me ver passeando e identificando alguns locais e comércio da Cidade.

Beijos que viajam o tempo e o espaço
Tânia Bueno


5 comentários:

  1. Olá Tânia, tudo bom?
    Tenho esse livro a uns dois anos na estante e não sabia que sua premissa era tão interessante! Adorei saber sobre as trocas de cartas entre passado e futuro e fiquei muito curiosa para descobrir como tudo isso termina! Gosto de romances que fogem do clichê e que nos deixam lições importantes! Já coloquei o livro na minha lista de leitura! Parabéns pela resenha ^^'
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, já ouvi falar desse livro, mas nem pensava que se tratava de um romance entre duas pessoas de epocas diferentes, que transcende os anos, e acabou me deixando bem surpresa saber da premissa do livro e conhecer melhor a obra desse autor. Fiquei bem curiosa para ler e saber mais desse romance improvavel.
    bjus

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Adoro romances com doses de drama assim. Tenho muita curiosidade de ler esse livro, mas infelizmente não tive oportunidade. Depois que você falou tão bem do desenvolvimento e narrativa fiquei ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Tania!
    Embora eu soubesse da existência deste livro, jamais poderia imaginar que trouxesse um enredo assim tão diferente e interessante.
    Fiquei bem curiosa e com muita vontade de ler Belleville.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oii,
    Eu já tinha até me esquecido do livro, acabei de adicionar ele no skoob. Vi ele faz um tempinho já e me interessei bastante por ele.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir