slide

As aparências Enganam

28 junho 2016

Resenha por: Tânia Bueno
Título: As Aparências Enganam
Autor(a): Janaina Rico e Liana Cupini
Editora: Qualis
Gênero: chick-lit
Páginas: 146
Compre e Compre: Janaina Rico
Adicione: Skoob
Nota:
Sinopse: Luiza era uma loira sensual, bem resolvida e determinada, enquanto Isabel era uma morena pacata, que sonhava em ser dona de casa e ter filhos.
Luiza se dedicava ao seu trabalho e era muito ambiciosa, já Isabel só pensava em agradar seu noivo e planejava uma família.
O destino as uniu e agora elas vão perceber que a felicidade pode morar ao lado. Será que a grama do vizinho é realmente mais verde? Será que uma mudança radical poderá consertar todos os erros do passado?
Se a vida te oferecesse a chance de mudar, você aceitaria? Essas duas amigas toparam, e em uma nova cidade, terão a chance de recomeçar! Um livro sensível, sobre as dores e as alegrias de ser mulher.

Um livro delicioso de ler que traz a tristeza e dissabores de ser julgada segundo a aparência, coisa que abomino, afinal não é um traje, um trejeito, a cor do cabelo ou coisas do gênero que definem o caráter e a personalidade de uma pessoa. A sinopse diz um pouco sobre o que esperar dessa trama de Janaina Rico e Liana Cupini, elas trazem duas mulheres diferentes que são amigas de longa data, mas que graças a um ser desprezível chamado Johnson que é noivo de Isabel há dez anos, moram juntos, mas nunca propôs casamento e ela como sempre foi pacata aceita a vidinha mais ou menos que ele proporciona à esta professora de Brasília, este cara é aquele que canta todo mundo e se bobear até a própria mãe, ele cantou a melhor amiga de Isabel, nada menos que Luiza que acabou se afastando por acreditar que certamente a amiga pensaria justamente ao contrário, que ela uma loira estonteante que sempre chamava a atenção da ala masculina por onde passava é que na verdade teria cantado o idiota. Mas, tudo isso foi esquecido e as amigas acabaram se distanciando um pouco.

Isabel e Luiza se encontram anos depois e ambas estão vivendo seus infernos astrais e que infernos! Os momentos tensos as obrigaram a sair de Brasília, Isabel, morena, “normal”, decepcionada e em início de depressão por ter visto seu mundo ruir ao saber das inúmeras traições do noivo que quando questionado acha tudo normal, pois as outras são diversões e Isabel é “para casar”, odeio isso. Eu castraria este imbecil. Não aceito traição de pseudo amigos, imagine de homem que tem o papel de namorado, namorido, noivo, marido ou coisa que o valha. (risos)

Ela sai de casa com uma única mochila e dentro poucos pertences, passa o dia no aeroporto pensando para onde irá e o que aconteceu com sua vida nos últimos dez anos. Decide ir para São Paulo e quando decide, quase não consegue embarcar. Assustada não tem ideia como ficará na cidade, pois não conhece ninguém, não tem onde morar e pouco dinheiro, mas quer mesmo é sumir. Sua família é uma coisa horrorosa, então não tem ninguém com quem contar.

Luiza é loira, despachada, determinada, sabe bem o que quer, sabe o que causa nos homens e não está nem aí. Em uma festa da empresa bebeu um pouco mais e acabou saindo com seu chefe Miranda, outro idiota que julga pela aparência para negar o babaca que é. Rejeitado por Luiza começa a persegui-la, questionando e ofendendo-a moralmente o tempo inteiro. O desgraçado estava claramente praticando assédio sexual e corporativo e o absurdo chega ao ápice quando surge uma oportunidade para um curso em São Paulo e Luiza concorre, é a escolhida, mas barrada pelo chefe que diz que diante da fama dela, a matriz da empresa em São Paulo terá uma imagem negativa da filial de Brasília. Grrrrrr Mas, ela luta ameaça abrir um processo por assédio e acabam concordando com a ida dela para São Paulo.

Frustrada e decepcionada pela imagem que formaram dela, decide que esta será a chance da sua vida, prepara uma mala com roupas para o trabalho e outra mala com roupas para cair na noite de São Paulo, afinal permanecerá na cidade por três meses.

As duas amigas se encontram depois de anos dentro do avião e Luiza acaba sabendo o que aconteceu com a amiga, então como ficará em um flat oferece abrigo a Isabel que agora tem um teto e alguma esperança surge então. Já na cidade de São Paulo saem à noite para festejar o início de uma vida nova e Luiza é confundida com garota de programa porque é loira, pela roupa curta que está usando e pela maquiagem, fica arrasada, vão para outra casa noturna e a mesma coisa acontece, é expulsa do local porque se defende. Isabel a defende e o dono do local diz que não quer garotas de programas ali. Aí me pergunto: em que planeta estamos, pois agora virou moda julgar pela aparência, quer dizer continua moda em pleno século 21?

Luiza decide mudar totalmente sua imagem da cabeça às vestimentas e Isabel a pacata morena deseja ser como a Luiza era: desejada, popular, notada. Ambas meio que invertem a aparência e Luiza descobre a sua invisibilidade, mas passa a ser percebida pela excelente mulher de negócio que é, mas só isso. Acaba percebendo que Bebel (Isabel) tem mais atenção que ela, ganha um emprego dos sonhos em um requintado restaurante em São Paulo e o dono rico, lindo, cheiroso e maravilhoso Marco Antônio investe nela. Luiza começa com uma coisa de inveja e ciúme, o que me irritou um pouco, embora em alguns momentos ela caísse na real. Isabel também me irritou um pouco principalmente porque mostrou o cúmulo da ingenuidade em alguns momentos, até cheguei a pensar, aff... isso já é ignorância demais para o meu gosto, isso não existe.

Então temos um Marco Antônio lindo que deseja e tem um sentimento nobre por sua funcionária Isabel, Luiza que quer mais é sair com o exemplar espetacular apenas por uma noite e aí já fiquei com raiva, achei Luiza maior fura olho, mas a verdade é que ela o queria apenas para curtição, nada sério, afinal Luiza é assim livre, leve e solta e desapegada.

Não pense que há um triângulo amoroso, porque não há. Não pense que é um livro erótico, porque não é. Temos algumas situações engraçadas, alguns dilemas para reflexão e pelos quais muitas mulheres já passaram. Situações inusitadas e claramente preconceitos que fazem com que dois machos alfas se posicionem lindamente na defesa das meninas, Marco Antônio que defende Isabel frente ao idiota do Johnson que vendo-a loira e linda pergunta se agora ela é prostituta e Eduardo o chefe da Luiza que é o amigo com o qual ela sempre sonhou, mas que não tem a aparência que a atrai em um homem. Em meio a confusões, coisas ditas e não ditas essas duas mulheres vão encontrar seus caminhos e de uma forma bem lindinha e cheia de lições.

Enfim, apesar de a Isabel ter me irritado um pouco no começo, afinal uma mulher de 30 anos com o nível cultural que tem não poderia ser tão inocente assim, fato é que esta mulher evolui ao longo da trama de uma forma muito linda, acompanhar o desenvolvimento e o amadurecimento dela e a sua autodescoberta foi maravilhoso. Acompanhar a elevação da sua autoestima e deixar de acreditar que não merecia o que o Universo estava lhe dando, foi fantástico. Quanto a Luiza, também gostei muito da sua descoberta e que na realidade às vezes algumas pessoas se escondem atrás de uma máscara para se protegerem e isso poderá dar certo ou não. Fato é que algumas vezes de onde não esperamos surgem possibilidades, pessoas que rejeitamos por pré-conceitos, na realidade estão à nossa volta para mostrar a beleza da diversidade e que julgar pelo rótulo é uma coisa horrível, generalizações também são coisas abomináveis, tipo: toda loira é periguete, toda loira é burra, todo cara lindo é pegador, etc.

A beleza, decididamente, não está somente no externo. Conheço muita gente bonita por fora, mas é como a casca do ovo, facilmente quebrável aí o conteúdo fica exposto e o que  fazer quando ele vem à tona, diferente do ovo que é lindo por dentro e por fora, pelo menos em minha opinião, alguns conteúdos quando manifestos mostram que na realidade o interior é horrível. A beleza é muito mais do que o exterior é soma desse com o interior, somado ainda a muitos outros elementos.

Com uma narração alternada entre as duas temos o desdobrar da trama e isso proporciona bastante dinamismo à obra. Adorei a capa do livro. Para mim AS APARÊNCIAS ENGANAM é uma literatura interessante para trabalhar algumas questões atuais. Certamente é um livro que eu usaria para trabalhar com adolescentes e promover um debate. A diagramação foi bem trabalhada, têm uns dois erros de digitação, mas nada que comprometa o todo da obra.

A Janaina Rico e a Liana Cupini, escreverem a quatro mãos e de forma lindamente envolvente, traz alguns temas para roda de forma leve propiciando reflexões e alguns questionamentos. Então, claro que esta obra leve de leitura rápida está mais que indicada.

Beijos sem julgamentos!
Tânia Bueno

Sobre as Autoras:



Janaina Rico é escritora, atriz, artesã, editora e dramaturga. Autora dos livros Ser Clara, Apimentando, Cartas para um pai, Cartas para um filho, 100 dias de sensualidade e As aparências enganam e dos contos 10 dias para roubar o namorado da vizinha, Gorda, solteira, 30 anos, procura, Marcele & Bernardo e Separação. Ganhadora dos prêmios Codex de Ouro de Identidade Literária. Criadora da campanha Eu leio Brasil.






Liana Cupini, natural de São Paulo – SP, nasceu em 11 de Fevereiro de 1984. Formada em Comunicação Social (Publicidade), estudou Comércio Exterior e tem MBA em Recursos Humanos.
Autora da série Luz e Escuridão, teve o primeiro livro, Estigmas da Luz, publicado no final de 2010. Deve lançar, no decorrer de 2011, os dois livros que fecham a trilogia: Guardiões e Reino; Além do chick-lit Antes tarde que mais tarde!
Voltado para o publico juvenil adulto, a autora escreve com uma linguagem simples e leitura ágil.

13 comentários:

  1. Oiii, tudo bem?
    Infelizmente a obra não desperta muito meu interesse, então pularei a dica dessa vez. Sua resenha está maravilhosa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tânia!
    Acho a Liana e a Janaina umas queridas <3 Não conhecia esse livro das duas, mas pela sua resenha - que eu adorei! - deu para perceber que ele toca em pontos muito importantes! Como estou dando aula para adolescentes, acho que vou ler esse livro e passar para os meus alunos, porque eles podem aprender muita coisa sobre julgar pela aparência...
    bjus!

    ResponderExcluir
  3. Se tem Janaina Rico já podemos saber que o livro, a história e o enredo é bom. A história despertou minha atenção ainda mais por se tratar de um assunto que vemos todos os dias

    ResponderExcluir
  4. Oie...
    Adoro ler chick lits, esse genero sempre rende uma leitura fluída, divertida e envolvente. Porém, as protagonistas são sempre como Isabel, acabam irritando um pouquinho rsrs...
    Adorei a sua resenha e com certeza irei ler um dia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Tânia.

    Ainda não tinha lido uma resenha sobre este livro e gostei bastante, pois mostra que é um Chick - lit com reflexões positivas. Será uma ótima dica para conhecer a escrita das autoras, porque não conheço ainda.

    Bjos
    Histórias Existem Para Serem Contadas

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, e confesso que pela capa pensei em algo mais infantil. Mas que bom saber que é uma história mais densa. Eu também acho que aparência não diz o que a pessoa é, mas infelizmente isso é usado como forma de julgar alguém. :(
    Gostei da trama, com certeza leria! Ainda mais que nunca li nada das autoras.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  7. Olá Tânia, gostei bastante da premissa do livro e para falar a verdade, não conhecia nenhuma das autoras. O interesse é maior ainda quando se trata de questões que envolvem esteriótipos, gosto de temas que nos fazem refletir e sempre trazer para o nosso dia-a-dia.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos,
    www.embarcandonaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Tânia, tudo bem??
    Parece ter lido mesmo uma leitura maravilhosa... só acho que a capa não faz muito jus a proposta apresentada aqui na resenha. Eu fiquei muito curiosa pela trajetória das duas amigas, ainda mais que a narrativa é intercalada pelas duas. Eu sinceramente não olho para a aparência, mas neste mundo atual que vivemos ela se faz tão importante que me irrita... não se deve medir uma pessoa pelo que ela veste... mas enfim... adorei a sua resenha e fiquei curiosa pela história... Xero!!!

    ResponderExcluir
  9. Não podemos julgar pelas aparências meeeeeeesmo. Olhando a capa achei que seria um livro bem mais juvenil, olha só como as coisas são né.
    Achei interessante o enredo e como elas trabalharam o tema, com certeza é uma leitura muito boa e fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tânia!
    É muito triste perceber que em pleno século XXI ainda existe tanto preconceito, tanto julgamento por aparências. Gostei do enredo, é saber que a personagem amadurece no decorrer da história é muito bom, adoro histórias assim que nos apresentam conceitos de mudança é amadurecimento! Adicionado a lista

    Beijokas

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Eu não conhecia esse livro mas gostei bastante, algo bem atual. Adicionado à minha lista de leitura com toda a certeza!

    ResponderExcluir
  12. Olha, Tânia, não acho que conseguiria acreditar no enredo desse livro. Achei surreal demais a loira ser expulsa de casas noturnas porque a confundiram com uma prostituta, e mais surreal ainda ela ter se afastado da Isabel porque o tal do noivo a cantou e muito tempo depois, ao reatar o relacionamento com a amiga, dar uma de fura olho por conta do Marco Antônio. Não leria.

    Beijo!

    ResponderExcluir