slide

Miga, sua louca! Julianna Costa e Luiza Costa

20 agosto 2017

Resenha por: Tânia Bueno
Título: Miga, sua louca!
Autor(a): Julianna Costa e Luiza Costa
EditoraUniverso dos Livros
Gênero: Infantojuvenil
Páginas: 240
Compre e Compre: Buscapé
Adicione: Skoob
Nota:

Miga, sua louca!
Os dilemas de duas adolescentes tentando buscar seu lugar no mundo.

Sinopse: Deixe eu te apresentar a Yara.
Ela parece meio certinha e meio louca. Um pouco de tudo. Ou talvez nada disso.
Na verdade, ela é só mais uma adolescente buscando descobrir sua própria identidade. O problema da Yara é que, nessa busca, ela vai encontrar o André, o Danilo, o Diego, o Rodrigo…
Pois é, pessoal. A Yara é meio nervosa. E meio desesperada. E meio tímida. E meio inexperiente.
Mas não precisa se preocupar com ela, porque a Yara pode ser meio tudo isso, mas ela não está sozinha: ela tem a Alexia.
Alexia é a metade que falta da Yara: sua melhor amiga, com experiências, dicas e surtos para compartilhar. E enquanto Yara enfrenta todo tipo de complicação – seja a indecisão sobre qual universidade cursar, os problemas com a mãe ou o interesse recém-descoberto pelo melhor amigo – Alexia vai ficar por perto, guiando sua amiga maluca (com sugestões nem sempre convencionais) em um dos momentos mais delicados de sua vida.
Por meio de uma troca de cartas entre essas duas grandes amigas, Miga, sua louca mistura ficção com conselhos práticos para a vida real em uma narrativa jovem e antenada para um público que, assim como a Yara, não faz ideia de como entrar para a vida adulta.

As autoras Julianna Costa e Luiza Costa traz uma história deliciosa com um enredo que pode ter sido vivido por qualquer uma de nós dos 14 anos até 100 anos, pois quando falamos de dilemas de duas adolescentes tentando buscar seu lugar no mundo, quem nunca? Não é mesmo?

A história toda é ambientada entre os dilemas da escola, casa e família, garotos, descobertas e interrogações que precisam ser transformadas em vírgulas, pontos de exclamações e porque não alguns pontos finais. Sim, todas nós precisamos colocar alguns pontos finais e aprender alguma coisa com eles, como dizem as autoras “se não for benção, pelo menos é lição”. Adorei isso, gente. Hahahaha



Já ouvi gente dizendo que a trama não tem sentido, mas já aviso: se você ler apenas as primeiras páginas, tirar esta conclusão e não seguir com a leitura, ficará com esta impressão, mas asseguro que a trama inteira é pra lá de interessante passadas as primeiras páginas. 

Outra coisa, você deparará com alguns questionamentos da Yara (Yaya para os íntimos como nós) que você pensará: “Isso é impossível! Como a garota nerd ou não, não sabe disso!! E já aviso é possível sim a tirar por mim que com 15 anos ouviu a expressão tesão de um cara na rua e não sabia o que significava, quando perguntou para uma colega de trabalho de 30 anos ela riu baldes por não acreditar o que eu estava perguntando. Então, nada de achar isso ou aquilo absurdo, pois no reino da Dinamarca tudo é possível, ok?  Dispa-se de julgamentos precipitados e boa viagem ao mundo de Yara, Alexia, Danilo, Maria Clara e mais alguns personagens bem construídos, mas sem noção e machistas ao extremo, porque o machismo independe de idade e da cabeça oca ou não de alguns garotos, homens e velhos. Mas, não pense que o machismo está somente na cabeça do sexo masculino, algumas meninas e mulheres também o são e isso me deixa irada, pode acreditar.

Temos a Yara uma nerd prestes a completar 18 anos e toda certinha que tem o maior dedo podre para garotos, temos outra fofa que é a amiga Alexia que mora em outra cidade. Alexia é sensata, atirada, sabe o que quer, é segura, mas também já experimentou maçãs podres ou seria bananas estragadas? Hahaha Estas duas fiéis amigas se correspondem através de cartas, uma experiência considerada retrógrada para alguns, já que em um mundo altamente tecnológico com e-mails, whatssap e outras parafernálias, porque escrever uma carta, enviar pelo correio e ficar esperando alguns dias para recebê-la? Eu respondo. Porque carta, cartão de aniversário manuscrito são mágicos... Eu adoro isso. Experimente um dia escrever uma carta e enviar para alguém importante para você. A reação poderá ser surpreendente... Ou não. Hahaha Mas, de qualquer forma pode ser surpreendente ou engraçada, vale a pena seja o que for.



Yara ainda tem um amigo de infância tipo irmãozinho que nutre um sentimento a mais por ela, mas é o tipo de cara que a defende e a protegerá sempre, Danilo é um cara especial que em dado momento da história se vale de um plano maluco da Yara para atingir o sem noção e machista do Diego e acaba por assumir quase de verdade o papel que lhe foi atribuído e após uma determinada ação se afasta e causa estranhamento em todos, nas meninas e nas suas mães.

A Aléxia e a Yara são confidentes e a Aléxia estimula nossa Yaya a sair da casca e se lançar mais mulher, se divertir e ser um pouco inconsequente, experimentar viver. Só que mais para frente ela acaba até assumindo que não foi uma boa e chama a Yaya de volta ao planeta Terra porque está despirocando de vez.

Gente, a Aléxia representa a amizade sincera e verdadeira, tipo a que acredito. Para mim amiga de verdade é aquela que fala o que o outro amigo não quer ouvir, mas precisa ouvir. E a relação de amizade das duas é realmente para a eternidade e amei isso, pois as escritoras exploraram de uma forma divertidamente séria e que faz o leitor pensar nas suas amizades e quem é sua ou seu best friend de verdade.

Os personagens foram todos eles magistralmente construídos e totalmente necessários e importantes para a trama, com cada um aprendemos alguma coisa ou pelo refletimos sobre o que não queremos para nós.  Elas também abordam a relação pais e filhos, aqui no caso mãe e filha já que Yara tem mãe e pai na mesma figura e uma pessoa incrível que procura sempre estar ao lado da filha, claro que com muitas neuras de mãe e pai, mas que são totalmente relevantes em nosso louco mundo maluco. É fato que cada um tem que viver sua história, mas não podemos esquecer que nossas mães, pais e pães (mãe que é também pai ou pai que é também mãe) já que tiveram suas experiências e quando exageram em preocupações, ainda que sejam chatas e horrendas, eles/elas o fazem pensando em nosso bem estar, nossa segurança... Mas, longe de mim afirmar que eles/elas só acertam. NÃOOOO! Também fazem e falam merdas mesmo já mais velhos que os filhos e cada filho(a) precisa desenvolver sua estratégia para lidar com tudo isso.

Bom, é isso! Juliana Costa e Luiza Costa, suas fofas, obrigada por me fazerem rir em vários momentos, por me fazerem voltar no tempo e revisitar minha adolescência, isso foi magicamente lindo. Obrigada por me presentear com uma trama envolvente, factível e cheia de reflexões absolutamente relevantes sobre o papel da mulher, a importância do feminismo coerente e real, o puxão de orelhas nas mulheres jovens e mais velhas que traídas castigam a outra e o tonto que na realidade é o problema delas ficam sentados em tronos só assistindo uma estapear a outra ou chamar de vagabunda e outras coisas, isso quando a outra nem sabia que o traste estava namorando e levava adiante duas relações.

As autoras ainda fazem um alerta bem legal sobre a questão dos nudes com cabeça ou sem cabeça, não importa... NUDES não! Tá... eu sei que a gente cai no papinho, mas precisamos avaliar nossas ações porque podem desencadear dores de cabeças que só por Deus.

A diagramação do livro está linda e cuidadosamente trabalhada como sempre pelas pessoas TOP da editora linda, amorzinho do coração Universo dos Livros. Os temas das cartas são abertos com imagens com de um envelope e papel, bem fofos.



Gente, leia MIGA, SUA LOUCA! E depois contem para mim o que acharam.

Compartilharei com vocês alguns trechos super legais, mas depois farei uma postagem exclusiva com quotes do livro, pois ele está recheado de coisas mega TOP.

“... também não fique ligando nem mandando mil mensagens, porque, assim, você só estará dizendo em cada uma delas que não se respeita e, claro, que ainda tá doidinha por ele.” P. 67

“As pessoas te dão o valor que você se dá, e pressão não combina amor, miga: liberdade combina. Não fica com quem não quer ficar com você. Ninguém merece ficar sozinho em um relacionamento a dois.” 

“Se não é benção, é lição — ou melhor, livramento! (adorei isso)
“Autoestima é tudo, miga: te deixa muito mais bonita do que qualquer maquiagem e muito mais sedutora do que um corpo bonito.” (isso foi show!!!!)

“A vida é coisa mais justa e injusta que você pode imaginar. Então, nunca se jogue sem ter averiguado se o fundo é raso.”

Um beijo
Tânia Bueno

15 comentários:

  1. Esse parece ser um livro extremamente engraçado menina, ainda mais com esse título. Gosto muito de infanto e sei que futuramente iria adorar ler para saber de uma ressaca pesada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Tânia, se eu já tinha ouvido falar desse livro não lembrava.
    Adorei a história, parece ser bem divertida e como você disse capaz de acontecer com qualquer um.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Adorei esse livro porque ele me fez lembrar das leituras que eu fazia quando era adolescente, mas Miga, sua louca parece ter um discurso muito mais politizado e até mesmo maduro, gostei bastante desse tom na narrativa que não subestima os jovens. Dica anotada!!

    ResponderExcluir
  4. Aah que saudade de livros assim, com certeza irei lembrar dos momentos engraçados e ao mesmo tempo constrangedores que eu passei com as minhas amigas na adolescência haha. Sua resenha está incrível e fiquei curiosa para conferir essa história. Bjss!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas achei a proposta muito legal. Adoro livros sobre adolescentes, principalmente quando os personagens são bem construídos e temas importantes são abordados.
    Também adorei saber que as duas amigas se correspondem por cartas. Acho que com todas as tecnologias que existem hoje, as cartas se tornaram ainda mais especiais, demonstra um carinho e uma atenção a mais.
    Adorei sua resenha e já anotei a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não vi nenhum comentário negativo sobre esse livro, felizmente, e estou cada vez mais curiosa com ele. Não vejo a hora de ler, a trama me parece ser bem louca mesmo, mas ao mesmo tempo bem envolvente.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Adorei poder conhecer mais sobre o que se trata essa obra.
    Deve ter sido uma leitura bem agradável de se fazer afinal essa forma como os jovens se comunicam é bem engraçada, mas também é legal poder ver os seus dilemas, suas aflições e com isso tirar um tempinho pra refletir.
    Fiquei com vontade de realizar a leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Antes de tudo amei seu blog!!! Não conhecia esse livro, mas amei tudo. Amei a capa, o título a diagramação e sua resenha. Fiquei com muita vontade de ler. Será que acho com uma promoção bem legal? Concordo com muitas coisas que escreveu na resenha. Realmente, os amigos são aqueles que falam o que precisamos ouvir, não o que queremos ouvir. E amei tbm o: "se não for benção, ao menos é uma lição". kkkk E isso de escrever uma carta? Faz tanto tempo que não escrevo e nem recebo. (Snif!!!) É mágico mesmo. Parabéns pela resenha!!! Você abordou todos os aspectos do livro. Consegui sentir o sentimento que a obra deixou em vc. Preciso ler tbm. <3

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, adorei, que livro lindo, capa linda, diagramação linda... Queroooo
    Amei a resenha, não conhecia o livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. oi.
    Achei tudo meio confuso, nem tenho certeza se entendi do que a história se trata. De qualquer forma, não é o meu gênero do momento sabe, acho que passei pelos livros Ya e Jovens Adulto já. O que é triste, to me sentindo meio velha! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe se você não entendeu é poque não leu a resenha na íntegra. O que você não entendeu especificamente?

      Excluir
  11. Oi tudo bem?
    Me parece ser um livro muito engraçado e divertido, já havia visto a capa por aí mas nunca parado para ler algo sobre ele e confesso que a sua resenha me deixou com vontade de conferir a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Apesar dos elogios e achar bem importante de tratar o papel da mulher, feminismo, acredito que eu não vá gostar muito. Tive uns pequenos problemas com a escrita da Julianna Costa, então no momento não me sinto tão a vontade de ler algo dela. Quem sabe no futuro, afinal é um livro de parceria?! Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Adorei a premissa desse livro e o título me chamou muito a atenção. Parece ser algo de que eu realmente vá gostar. A capa é maravilhosa e eu sou apaixonada por livros teens!
    Beijos, excelente resenha.

    ResponderExcluir
  14. Oi Tânia.

    Eu já tinha visto comentário sobre esse livro, mas não dei muita bola para ele. Estava errada, sua resenha deixou o livro desejável. Parece ser maravilhoso e engraçado. Dica anotada para conhecer essa história.

    Bjos

    ResponderExcluir